Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘SeriesTI’ Category

Olá Pessoal! Nesse segundo post da série DB2 irei mostrar como instalar e configurar o DB2 Express C em ambiente Linux. No primeiro post vimos como fazer isso no Windows, mas sabemos que nem todos profissionais IT usa Windows como default O.S.

Lets go..

Outros Posts da Série:

Série 1 DB2 – install/config db2 – Windows

1. Apos ter feito o download copie o arquivo como o usuario root (sudo -i) para o pacote /opt ou outro que desejar.

root@camilo-desktop:~# cp <download folder>/db2exc_970_LNX_x86.tar.gz /opt/

2. Descompacte o arquivo com o comando abaixo

tar -xvf db2exc_970_LNX_x86.tar.gz

3. Se você descompactou o arquivo na pasta /opt será criado uma pasta chamada /opt/expc. Entre nessa pasta com o comando cd /opt/expc e execute o comando abaixo para iniciar a instalação.

./db2setup

4. Voce vai obter a tela conforme a imagem a seguir:

db2unix15. No menu, clique em Install a Product e na próxima tela click em Install new

db2unix26. Clique em next

7. Aceita a licença e clique em next

db2unix3

8. Escolha o tipo da instalação, vamos usar typical

db2unix4

9.Selecione agora a primeira opção “Install DB2-C on this computer

db2unix510. A proxima tela devemos escolher onde o DB2 deve ser instalado. O caminho padrão sugerido pelo sistema operacional é /opt/ibm/db2/V9.7. Vamos deixar como está e portanto clique em next.

db2unix611.Vamos criar usuario/proprietario para DB2 Administrative Server Deixe conforme a imagem a seguir. A senha você escolhe.

db2unix712.Vamos aproveitar para criar uma instância para o DB2, ou seja, o proprietario. Portanto escolha a opção conforme a imagem abaixo:

db2unix813.Na próxima tela temos duas opções, escolher um usuário, ou usar um já existente. Vou usar o meu usuário. Então marque a iocai Existing user e no campo user name digite o nome do seu usuário, que no meu caso ficou camilo

14.O último passo é criar um usuário. Deixe conforme abaixo:

db2unix915.Agora clique em finish

16.Após isso, aguarde a instalação concluir (a depender da configuração da máquina isso pode demorar um pouco). Assim que for finalizada a instalação, você deve ver essa mensagem: setup has completed successfully

17.Para iniciar o DB2 abra o terminal e digite o comando abaixo

18. db2start

19. Você verá a mensagem a seguir no terminal:

SQL1063N DB2START processing was successful.

20. Para parar o DB2 o comando é o seguinte:

db2stop

Pronto, temos o DB2 instalado e configurado em um ambiente Linux. Agora você pode desfrutar dessa poderosa ferramenta no cenário de DB.

Read Full Post »

db2logo

Olá Pessoal! Estarei dando inicio a mais uma série. E dessa vez é com o banco de dados DB2 Express C IBM. Para quem pretende conhecer o nosso DB, pode ser uma boa oportunidade acompanhar a série. Nesse primeiro post da série irei mostrar como instalar e configurar o DB2 em ambiente Windows. Até o final da série vamos conectar Java + DB2 e desenvolver pequenas aplicações usando as tecnologias.

Lets go…

Séries do blog:

Séries IT

Um pouco sobre DB2

O DB2 Express-C faz parte da poderosa família de produtos IBM DB2 para gerenciamento de dados relacionais e no formato XML. O DB2 Express-C é um software grátis, sem limites e fácil de ser utilizado. A letra ‘C’ no nome DB2 Express-C significa Comunidade.

O DB2 Express-C utiliza a mesma funcionalidade principal e o mesmo código fonte de outras edições do DB2 para Linux, UNIX, e Windows. O DB2 Express-C pode ser utilizado em sistemas 32-bit ou 64-bit em sistemas operacionais Linux ou Windows. Ele pode rodar em sistemas com qualquer quantidade de processadores e memória e não tem nenhum requisito especial de armazenamento ou setup do sistema. O DB2 Express-C também inclui o padrão pureXML sem nenhum custo. O padrão pureXML é uma tecnologia única do DB2 para armazenar e processar documentos XML nativo.

Fonte: IBM

Baixando o Db2 Express

Faça o download da última versão disponível.

*É preciso fazer um pequeno registro para poder fazer o download.

  • Apos ter baixado execute o arquivo .exe e terá a imagem a seguir:

db2img1

  • Clique em Avançar e estará na tela a seguir

db2img2

  • Escolha a opção “Instalar um Produto” (essa tela pode sofrer alterações de acordo com a versão escolhida)

db2img3

  • Na proxima tela clique em Instalar Novo, clique em next e aceite o contrato (leia antes por favor).
  • Escolha o tipo de instalação típica, caso seja seus primeiros passos com DB2.

db2img4

  • Clique em Avançar e escolha a primeira opção na tela seguinte

db2img5

  • Clique em avançar e, na próxima tela, mantenha o local de instalação padrão:
  • Depois clique em avançar.
  • Agora vamos configurar o nome do usuário e a senha. Anote em algum lugar esses dados, pois vamos precisar dele para os próximos posts Java + Db2. Recomendo deixar o nome do usuário conforme a imagem a seguir:

db2img6db2img7

  • Clique em avançar e, na tela seguinte, clique em configurar. Agora deixe conforme as imagens abaixo. Não mude a porta (padrao 50000).

db2img8

  • Clique na próxima aba

db2img9

  • Agora clique na aba de inicialização

db2img10

  • Agora clique no botao OK. Em seguida, no botao avançar.

db2img11

  • Clique em instalar e aguarde… quando concluir obterá a tela conforme a imagem a seguir

db2img12

  • Pronto!! DB2 está instalado. Para Testar, verifique se nao tem um icone próximo ao relógio do Windows. Clique com o botão direito no icone verde e escolha a opcao Start.

db2img13

  • Assim que o DB2 iniciar escolha a opcao “DB2 Control Center” e terá acesso ao painel de controle do DB2, onde poderá criar os DataBases, tables etc.

Done! Espero que tenham gostado da primeira série DB2. Vejo vocês no próximo post.

Abraços!

Read Full Post »

Série 3 JSF + Conexao Mysql NB

sucessfulman

Olá pessoal! Nesse post apresentarei como conectar à um DB(Mysql) + JSF usando o padrão DAO. Vejam como será algo bem simples de fazer. Aqui vamos criar uma aplicação que grava nome e o email dos clientes, tendo como IDE o Netbeans.

Lets go…

posts da série:

Série 1 Aplicações JEE com JSF

Série 2 JSF: Criando um newsLetter -NB

Requisitos:

  1. Netbeans 6.7

  2. Mysql instalado

Passo 1

Criar um schema e uma tabela no mysql com o nome que achar conveniente, aqui chamamos de livraria (schema) e clientes (tabela).

Os campos para tabela foram:

id – Integer – autoincrement

nome – varchar

email – varchar

Passo 2

Crie um projeto chamado CadCliJSF e escolha o framework JSF. Se tem dúvida, veja o primeiro post da série.

Vamos Criar a classe de conexão com banco de dados. Para isso, crie um new package: br.com.camilo.util e coloque a classe nesse package. Chamamos aqui de ConnectionFactory

jsfbdnb1

jsfbdnb2

passo 3 cliente.java

Crie agora o JavaBeans chamado cliente dentro do package br.com.cliente.

jsfbdnb3

passo 4 DAO.java / ClienteDAOImp.java

Crie um package chamado br.com.camilo.dao e coloque a classe dentro desse package.

Agora vamos criar uma interface DAO.java que possui os métodos de ação com o DB. Nesse caso teremos apenas o salvar. Abaixo o code da interface.

jsfbdnb5

passo 5

Criando a classe que implementa os métodos da interface DAO. Observe que assim fica mais fácil a manutenção e o reuso de código também. Portanto no package br.com.camilo.dao crie uma classe que implementa os a interface dao.java. Aqui chamados de ClienteDAOImp. Veja o code:

jsfbdnb6

jsfbdnb7

passo 6

Crie um package br.com.Controler e crie uma classe chamada CliControler.java. Esta classe executará as ações com base no que foi solicitado pelo usuário. Se este clicar em salvar, o controlador vai chamar o método salvar da interface dao.java implementado pela classe CliDAOimp.

jsfbdnb8

passo 7

Crie os arquivos abaixo.

jsfbdnb9

Agora altere o arquivo formAutor.jsp conforme o code a seguir. Adicione o code abaixo entre <body> </body>

jsfbdnb10

Agora altere o arquivo menu.jsp:

Para o arquivo forwardToJSF.jsp deixei assim: <jsp:forward page=”menu.jsf”/>

Para o arquivo cancelado.jsp deixe conforme a imagem abaixo:

jsfbdnb11

Agora vamos configurar o arquivo face-web.xml. Portanto deixe conforme abaixo:

jsfbdnb12

jsfbdnb13

Running….

jsfbdnb14

jsfbdnb15jsfbdnb16

Vou ficando por aqui e espero que tenham gostado da série JSF c/ Netbeans. Muito simples e eficiente. Até o próximo post. Abraco !!

Read Full Post »

programmer

Ae, pessoal! Nesse post vou mostrar uma funcionalidade com JSF: a criação de um newsletter com o recurso de campos required. Em outro post sobre JSF apresentei o framework que, como esse, facilita a criação de formulário com validação de dados. Nessa vamos ver a utilidade dentro de algo bem comum em paginas web, os newsletters. Para não ficar um post muito grande não envolvi armazenar os dados em BD usando JSF. Mas JSF + DB fica para um outro momento. Do not worry guy! 🙂

 Lets go...

 Outros Posts

  1. Primeiramente, crie um projeto no seu Netbeans e chame esse de Newsletter.

  2. Clique em next e diga que vai usar o JavaServer Face como framework.

  3. Na proxima tela altere a imagem como abaixo:

    jsf1

  4. Agora vamos criar nossa classe JavaBean, então clique com o botão direito no projeto e escolha Java Class e dê o nome NewsletterBean e no package coloque br.news.bean

  5. Precisamos criar as variáveis que tem relação com os campos do formulário, então temos que criar a variável nome e email e permitir o acesso via get/set.
    codenews1

  6. Em seguida temos um método que vai verificar ( acao () ) o que foi digitado antes de “cadastrar” os dados em um possível BD. Esse método retorna uma String pois a partir dessa string o JavaFaces toma as decisões.

    codenews2

  7. Crie um arquivo .jsp chamado sucesso.jsp e deixe da forma conforme abaixo

    sucessonews

  8. Mude o nome do arquivo welcomeJSP.jsp para index e deixe conforme a seguir

    indexnews

  9. Abra agora o arquivo faces-config.xml no formato XML.

  10. Clique com o botão direito em qualquer local e escolha a opção conforme a imagem abaixo

    faces

  11. Na tela que abriu deixe conforme a imagem a seguir. Assim estamos configurando nosso arquivo para saber qual Bean chamar, bem semelhante como fazemos com o mapeamento usando Servlet.

    faces2
    obs.: a mensagem em vermelho nao deve aparecer quando esse procedimento é executado pela primeira vez.

  12. Faça o mesmo procedimento do passo 10 e escolha Add navigation Rule e deixe como a imagem a seguir. Assim definimos quem será nossa página inicial

    facerule

  13. Seu arquivo faces-config.xml deve estar semelhante a imagem a seguir.

    faces3

  14. Escolha o modo PageFlow e faça o link como na imagem a seguir. Não esqueça de colocar o nome de cada case. Observe que em caso de falha ele mantém a pagina e no caso de sucesso ele vai para página sucesso.jsp. Se você fez a renomeação, sua página deve ser index.jsp inves de welcomeJSF.jsp.

    faces4

  15. Agora teste sua aplicação, clique com o botão direito no projeto e em seguida escolha Run. Veja os testes que fiz:

    facetest1

    facetest2

    facetest3

    facetest4

Abraço a todos e espero que tenham gostado do post, principalmente aqueles que estão iniciando os estudo com JSF. Até o próximo post.

Read Full Post »

Olá Pessoal! Depois de muito tempo sem trazer uma  série para o post, resolvi criar uma para quem está querendo aprender um framework para JEE, nesse caso JSF, onde vou mostrar como criar um formulário usando esse framework, tendo a IDE Netbeans como ambiente de desenvolvimento e o glassfish como servidor de app. Parece um exemplo bobo, “criar formulário de login/senha”, mas usaremos esse exemplo “bobo” para mostrar como é mais prazeroso usar JavaServerFaces para desenvolvimento JEE. Então para quem está aprendendo o framework da Sun nada melhor dar os primeiros passos com exemplos simples, concorda ? Então temos aqui o primeiro post da série JSF, nos próximos veremos exemplos mais “hot” e finalizaremos a série conectado JSF com BD. Não esqueçam de analisar a produtividade oferecida com o framework e a facilidade de manutenção.

Lets go…

Um pouco sobre JavaServerFaces

É um framework desenvolvido pela Sun, tendo como objetivo facilitar o desenvolvimento de aplicações Web através de componentes de interface de usuário (GUI) e conectar estes componentes à objetos de negócios. Read more…

Livro JSF in Action :Estou lendo este livro para aprimorar meus conhecimentos sobre o framework e realmente o material está excelente, com uma leitura bem confortável. E o melhor, nem tão caro é para quem tem cartão internacional e puder comprar no amazon.com (aqui no Brasil nao sei o valor do livro, mas tenho certeza que será mais caro).

Requisitos:

Passo 1

Aqui vamos criar o projeto e o Bean para que o JSF possa acessar.

  1. crie um novo projeto no NB. Dê nome ao projeto e depois clique em next.

  2. Na quarta parte  onde deve escolher algum framework marque JavaServerFaces. Em Servlet URL Mapping altere para *.jsf . Em seguida clique em finish

  3. jsf1

  4. A estrutura do seu projeto deve ser semelhante a da imagem a seguir

    jsfestrutura

    faces-config.xml = é o arquivo de navegação da sua aplicação com jsf.

  5. crie uma classe java chamada CamBean tendo uma variável do tipo String nome e em seguida use a técnica de refatoração “encapsulated field” da IDE. Clique no menu Refactor ==> Encapsulated Field. Em seguida diga que os metodos serão public e os campos private.

  6. Crie um método chamado verifica com o tipo de retorno String

    jsfclassjava

Passo 2 Criar o formulário usando JSF. Para isso altere o arquivo welcomeJSF.jsp deixando como na imagem a seguir

formjsf2

Passo 3

Fazer o mapeamento no arquivo face-config.xml para navegação da aplicação.

  1. abra o face-config.xml, normalmente esse estará no modo PageFlow altere para XML e clique com o botão direito em qualquer parte em branco e depois clique na opção como na imagem a seguir.

    <img jsfbean>jsfbean

  2. Agora vamos inserir as regras para qual pagina inicial deve ser chamada como default. Faça o mesmo procedimento da imagem anterior, mas dessa vez escolha Add Navigation Rule. Preencha a tela que apareceu conforme abaixo.

    <img jsfrule>jsfrule

  3. Salve as alterações. Em seguida crie duas páginas JSP, uma com o nome de sucesso.jspe outra falha.jsp. Essas serão as páginas que serão exibidas de acordo com o resultado.

  4. Abra o arquivo face-config.xml no modo PageFlow e deixe conforme a imagem a seguir.

    <img jsfaceflow>jsffaceflow

Testando aplicação

Para testar a aplicação é bem simples, basta clicar com o botão direito do mouse e escolher a opção “Run” e aguardar.

jsftest0

jsftest1

jsftest2

Bom, pessoal! Vou ficando por aqui. Espero que tenham gostado deste primeiro post da série. Até o próximo post.

Um abraço.

Read Full Post »

grid

Olá Pessoal!

Resolvi colocar um post extra. Para quem me conhece, sabe que adoro fazer trabalhos voluntários, na verdade tenho isso como um Hobby. Mas nunca passou pela minha cabeça que meu computador no estado ocioso poderia contribuir para a ciência ajudando a encontrar “soluções” em várias áreas como: AIDS, Dengue, Câncer etc.

Conheça o http://www.worldcommunitygrid.org/

Resumindo:

O programa Grid, utiliza sua maquina quando está ociosa para fazer pesquisas que ajudam a encontrar informações para a cura de uma doença em todo o mundo. A questão de usar outros computadores é que os super-computadores, esses não teriam a capacidade de fazer uma pesquisa para curto ou medio prazo em comparação quando é feita com N computadores espalhados por todo o mundo.

Bem, o programa não deixa a maquina lenta, nem da para perceber a sua existência além de ser seguro.

Bom, se ficou curioso e em conhecer mais sobre o programa assista a matéria da globo.com e veja se não vale a pena se tornar um “Grider”.

Link da matéria

Abraço a todos! Eu já sou um “Grider” e você?

Read Full Post »

ODF você conhece?

odflogo

Bom, pessoal! Hoje vou falar de um assunto que considero bastante importante para desenvolvedores, gerente de projetos, empresários etc. A discussão é sobre o formato ODF. Um dos defensores aqui no Brasil é o famoso Cezar Taurion (é até um orgulho trabalhar perto desse cidadão). Para desenvolvimento desse post, teve-se como base materiais do Taurion sobre a tecnologia.

lets go..

Ferramentas Refactoring para Java – nova coluna Imasters!

Antes de apresentar o formato ODF, vamos a uma pequena história.

História

Cada vez mais, o armazenamento de documentos em papel está sendo algo pré-histórico e o armazenamento eletrônico vem se tornando mais presente. O problema está no formato que esses documentos são armazenados. Você já parou para analisar que sua monografia, seu projeto pessoal, aquele projeto que vale bilhões de $, R$ etc., está em um formato proprietário e que para manipular estes projetos é necessário um software especifico.

Mas tem ainda outro problema, muitos formatos entre si são incompatíveis, quem não já teve algum problema de incompatibilidade entre os formatos worldml, doc2002, doc2000, doc97, doc95, doc2, rtf, doc55dos, wp9, wp10, sw52, pdf etc? Então temos o seguinte cenário:

aplicaohoje-odf1

A figura acima é o que vivemos: o controle da informação está com o criador do software e não com o usuário. Sendo assim, a informação está ligada à aplicação que a criou.

aplicaoamanha-odf1

A figura acima é o que queremos: o controle com o cliente e não com o fornecedor do software. A informação sendo representada por um padrão aberto, que não esteja sob controle de um único fornecedor, de modo que múltiplas aplicações possam acessá-las sem impedimentos.

O que precisamos?

Independência entre os formatos e software. Então a palavra chave é interoperabilidade.

Solução

Ter arquivos salvos no formato padrão aberto ODF. Veja os benefícios:

  • não tem restrição de licenciamento

  • não está em formato binário, aprisionando o usuário à plataforma

  • preservar fidelidade dos formatos: os layouts não podem ser alterados na transferência entre os softwares.

  • Suportar as funcionalidades atuais da tecnologia de processadores de texto, planilha e apresentações.

  • Suportar funcionalidades futuras (assinatura digital …)

  • armazenamento em formato compactado

  • ampla aceitação no mercado

  • não é controlado por uma pessoa ou empresa

  • sua evolução e gerenciamento é um processo transparentemente e aberto a todos os interessados;

ODF

É desenvolvido e mantido por entidade aberta (OASIS), ou seja, não é controlado por nenhuma empresa. O ODF já foi aprovado pela ISO sendo assim um padrão mundial.

Até o próximo post, mas vem um ponto para reflexão: “A documentação do meu projeto é compatível com…”

[faça a lista dos softwares que você pode compartilhar esse documento e  preservar a integridade, e m seguida veja se vale apena manter todo o projeto nesse formato]

Read Full Post »

Older Posts »